Hans (João) Wetzler nasceu a 10 de Junho de 1896, em Viena de Áustria, tendo depois ido viver para Praga, onde se encontra desde meados de 1916.
Em 1928, Wetzler dedicava-se à produção de roupa de criança, mas poucos meses antes do início da II Guerra Mundial, e obviamente fugindo das perseguições nazis, Hans Wetzler vem para Portugal.
Aportou no Funchal a 10 de Abril de 1939 e nesse mesmo ano associou-se ao industrial de bordados Manuel Hugo Luís da Silva, fundando a empresa Jan Wetzler & Silva, Lda. que exportava bordados e igualmente outros produtos confeccionados.
Em Junho de 1949, e após algumas tentativas, é concedida a Hans Wetzler a sua naturalização portuguesa que, de acordo com as autoridades oficiais, traria vantagem para a economia da Ilha. Deste modo Hans Wetzler, adquire oficialmente o nome português de João Wetzler.
O interesse de Wetzler pelo coleccionismo revelou-se pouco tempo depois de ter aportado à Madeira. Inicialmente adquiriu peças para a sua própria habitação, algum mobiliário inglês e outras peças de valor que haviam pertencido a distintas famílias inglesas, residentes na Madeira, e que abandonaram a Ilha. Algumas das antiguidades, encontrou-as na posse de empregados das referidas famílias, bem como na de portugueses que haviam tido relações comerciais com Inglaterra e que aceitaram como forma de pagamento peças de mobiliário inglês.
Mas João Wetzler também adquiriu peças à Agência de Leilões Cunha, onde trava conhecimento com João de Silvério Cayres, empregado da agência, e que mais tarde, em Março de 1946, o coleccionador contratou para com ele organizar a sua futura casa de antiguidades. Esta foi inaugurada ainda em finais de 1946, no rés-do-chão da Rua da Carreira nº 128-130. 
No entanto, o antiquário adquiriu também um grande número de peças fora da Madeira.
Algumas foram adquiridas em Lisboa, outras fora do país. Wetzler deslocou-se aos Estados Unidos, onde adquiriu uma enorme quantidade de antiguidades; atravessou toda a Europa de Leste; em Londres comprou valiosas peças em especial à casa de leilões


 Anúncio das Galerias da Madeira, publicitando um contador, adquirido em 1952 pela Junta Geral, para o Museu Quinta das Cruzes
Das Artes e da História da
Madeira, n.º 10 (Jan.-Fev. 1952)
Robinson & Foster, em South Kensington, encarregando Edwin Tischer, seu amigo próximo, de adquirir as referidas antiguidades.
A 11 de Junho de 1966, João Wetzler faleceu na sua propriedade da Quinta da Saudade, no Funchal.
A 13 de Julho do mesmo ano, cumprindo as determinações estabelecidas no seu testamento, 333 peças de Ourivesaria foram entregues no Museu da Quinta das Cruzes aos representantes oficiais da Junta Geral do Distrito Autónomo do Funchal. De acordo com o desejo do legatário estas pratas encontram-se hoje expostas no Museu da Quinta das Cruzes.
Mas não é só o seu legado que o relaciona com o Museu; João Wetzler, ainda em vida doa peças ao Museu e também no decorrer da sua actividade como antiquário vende peças a César Filipe Gomes, que, por sua vez, as doou ao Museu.
Notável antiquário, em João Wetzler existia, não só a procura profissional, mas também a pessoal, o que o levou a um mercado de compra eminentemente internacional que veio enriquecer em muito o património deste Museu, bem como o de toda a Região.