Nesta sala retrata-se o ambiente vivido num salão nobre de uma Quinta Madeirense, no século XIX, quando toda a alta sociedade era profundamente marcada pelos ditames britânicos. O Mobiliário que se encontra nesta sala, maioritariamente da 2.ª metade do século XVIII, é representativo do estilo Chippendale, particularmente presente nos móveis de assento, cadeiras e canapés, com os seus característicos espaldares em “molho de trigo”, e também marca a sua influência no panorama da marcenaria madeirense que incorpora os modelos ingleses na sua produção.
A estreita ligação entre a Madeira e a Inglaterra, iniciada por via do intercâmbio comercial estabelecido já em finais do século XVII com a comercialização do vinho, potenciou a permanência dos modelos ingleses no mobiliário, a partir de meados do século XVIII, suportados pela grande divulgação alcançada pelos álbuns dos desenhadores de móveis ingleses, nomeadamente da colecção de estampas de Thomas Chippendale (1718-1779), The Gentleman & Cabinet-makers Director.
Nas paredes, estão expostas diversas pinturas a óleo que documentam a passagem de alguns artistas pela Ilha da Madeira durante o século XIX, inseridos no ciclo do Turismo, e que se detiveram na ilustração de paisagens, dos quais destacamos a mais recente aquisição do Museu, a pintura de Thomas Buttersworth do navio “H.E.I.C.S. Dunira” (Honourable East India Company's Ship), na sua passagem pela Madeira.